Novo Coaf: como era e como fica a 'Unidade de Inteligência Financeira'

Confira as principais mudanças no órgão que detecta indícios de crimes financeiros no País

Disponibilizado em 22/08/2019
O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) mudou de nome e passou a ser vinculado ao Banco Central após a publicação de medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro na última terça, dia 20. A MP tem de ser aprovada pelo Congresso. Confira abaixo outras mudanças no órgão que detecta indícios de crimes financeiros no País. 

Nome


Como era: Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) 
Como fica: Unidade de Inteligência Financeira (UIF) 

Vínculo


Como era: era vinculado ao Ministério da Economia 
Como fica: ligado ao Banco Central 

Comando


Como era: O presidente do Coaf era Roberto Leonel, indicado pelo ministro da Justiça Sérgio Moro, a quem o órgão era subordinado no início do governo. 
Como fica: Nas mãos de Ricardo Liáo, indicado pelo presidente do BC Roberto Campos Neto. Ele é servidor aposentado do BC e fazia parte da equipe de Leonel. 

Escolha de conselheiros


Como era: O antigo Coaf determinava que os conselheiros deveriam ser servidores públicos de reputação ilibada e de reconhecida competência, integrantes do quadro de pessoal efetivo de órgãos como o BC, a Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União. 
Como fica: A MP que muda o Coaf deixa de exigir que sejam "servidores públicos" os conselheiros. Diz que a UIF será composta, além do presidente, por até 14 pessoas escolhidas dentre "cidadãos brasileiros com reputação ilibada e reconhecidos conhecimentos em matéria de prevenção e combate à lavagem de dinheiro, ao financiamento do terrorismo ou ao financiamento da proliferação de armas de destruição em massa."
 
Fonte: Estadão