Congresso da Febraban dá visibilidade à área de PLD

Disponibilizado em 09/09/2019

O 9º Congresso de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo, organizado pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos), aconteceu dias 3 e 4 de setembro, em São Paulo.

O evento reuniu como palestrantes representantes de grandes instituições financeiras, da CVM (Comissão de Valores Mobiliários ) e do Banco Central, com o objetivo de debater melhores práticas, tendências e tecnologias de prevenção à lavagem de dinheiro e combate do financiamento ao terrorismo. O IPLD esteve presente como apoiador do evento para fortalecer a área e fomentar a valorização do conhecimento.

 

Vice-presidente do IPLD, Joaquim Cunha, participa do Congresso 

 

Um dos destaques do Congresso foi a participação de Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública. Entre outros temas, ele falou sobre as mudanças no novo COAF, que passou a se chamar UIF (Unidade de Inteligência Financeira) e a fazer parte da estrutura do Banco Central. O ministro disse que a UIF está em boas mãos, pois o BC é uma instituição que tem tradição técnica e de eficiência: "Portanto, acho muito difícil que o BC seja permeável a qualquer espécie de loteamento político".

 

Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, em palestra no Congresso

 

Ricardo Liáo, presidente da UIF, também participou do Congresso e falou sobre os desafios e as novas perspectivas do órgão. Segundo ele, há uma necessidade histórica de melhorias tecnológicas, além de dificuldades jurídicas provocadas pelas recentes mudanças. Porém, Liáo afirma que tudo será superado em breve e que a autonomia operacional deve ser mantida, já que o conselho não interfere na produção e inteligência financeira.

A nova norma de PLD do Banco Central, os novos desafios para o mercado de capitais, inovações digitais e seus impactos para as áreas de PLD-FT, expectativas da avaliação do Gafi, inteligência artificial e machine learning para a detecção de indícios de lavagem de dinheiro foram outros temas abordados no evento.

O congresso foi finalizado com uma palestra sobre ética em que o diretor-presidente do Bradesco, Octavio de Lazari Junior, comparou a área de PLD a um rim. Segundo ele, o órgão tem a função de filtrar o sangue e ajudar o corpo a ter um bom funcionamento. Da mesma forma, explicou que a área de PLD tem um papel muito importante não só para as empresas, mas para toda a população: "Quando combatemos a lavagem de dinheiro, o Brasil passa a ter mais dinheiro para investir em saúde, educação e segurança. A sociedade ganha. PLD é investimento, e não custo".

 

Diretor-presidente do Bradesco, Octavio de Lazari Junior (à dir.), encerra o Congresso